FECHAR

Assine nossa newsletter:

A importância da criatividade no desenvolvimento socioemocional

16 nov, 2020 | Publicado por Líder em Mim

Quando falamos em desenvolvimento e formação socioemocional de alguém, trabalhamos a construção e fortalecimento de diversas habilidades. Juntas, essas habilidades, também chamadas de competências, tornam o indivíduo mais preparado para a vida. Isso vale para tudo, já que somos seres que vivemos permanentemente conectados com aspectos sociais e emocionais. Pois bem, nesse texto, a gente vai abordar especificamente uma dessas habilidades: a criatividade.

Nas próximas linhas, você poderá compreender melhor de que forma a criatividade impacta positivamente na construção do equilíbrio emocional. Mais além, poderá perceber como esse tipo de habilidade atua sob o aspecto social, bem como ela pode ser trabalhada, buscando-se evolução.

Entendendo o que é criatividade

Tente perguntar para algumas pessoas o que é criatividade e certamente ouvirá diferentes respostas. Muitos tratarão como um talento nato. Há também quem dirá que ela representa o resultado de uma ação inovadora e até quem entenda como um detalhe da personalidade humana. A verdade é que criatividade é uma palavra que compreende algo mais complexo e que pode até ser vista como uma espécie de mistura de tudo isso.

O mais importante é que, dentro do contexto socioemocional, a criatividade não representa um resultado, mas um processo pelo qual qualquer tipo de situação pode ser melhor avaliada e, assim, solucionada. Isso vale para todas as idades e para toda a vida: na escola, no trabalho, nas amizades e nos relacionamentos.

Nesse sentido, a criatividade envolve um coletivo de recursos do nosso repertório social e emocional, repertório esse que é profundamente trabalhado durante o desenvolvimento das competências socioemocionais. Atenção para a capacidade de observação, capacidade de realizar questionamentos e o poder de conectar ideias são alguns desses recursos. A seguir, a gente explica mais sobre cada um deles. Vale dizer que todos são igualmente importantes para formar o conjunto:

Observação

A observação é elemento essencial no desenvolvimento da criatividade. Ela acontece quando apuramos melhor nossos sentidos. Afinal, quem sente, percebe, vê e ouve mais atentamente, amplia seus conhecimentos e sua base de argumentação.

Obervação, um dos pontos fundamentais no exercício da criatividade

Obervação: um dos pontos fundamentais no exercício da criatividade

O ato de observar, inclusive, está diretamente ligado à competência da autogestão, uma vez que essa ação traz como resultado a valorização e apropriação de conhecimentos e experiências.

Esse tipo de conhecimento é fundamental para se alcançar a ação “pensar fora da caixa”, termo considerado um clichê quando o tema é criatividade. Isso, porque o processo de inovação existente numa ação criativa só acontece quando se sai do padrão convencional. Assim, somente observando tais padrões podemos imaginar e propor o diferente, exercendo a criatividade.

Questionamentos

A inquietude é outro elemento presente no espírito criativo. A curiosidade, assim como a sede pelo conhecimento, exerce papel de combustível para mover a criatividade. Sem a inquietude, nos acomodamos com a situação e deixamos de lado as oportunidades para o exercício pleno da criatividade.

Esse conceito é tão forte que a própria Base Nacional Comum Curricular (BNCC), em vigor desde o início desse ano em todas as instituições de ensino do país, traz como uma de suas dez competências gerais algo especialmente sobre isso. Ao tratar de “Pensamento científico, crítico e criativo”, diz a BNCC: “Exercitar a curiosidade intelectual e utilizar as ciências com criticidade e criatividade para investigar causas, elaborar hipóteses, formular e resolver problemas e criar soluções”.

Veja, se o conhecimento funciona como uma das bases de ignição para a criatividade, a curiosidade é o motor que faz essa engrenagem funcionar a todo o vapor. Aqui, vale dizer que essa roda gira nos vários aspectos da nossa vida: vale para o mundo escolar, para o universo profissional e para qualquer outra nossa realidade. Os questionamentos provocam respostas. Mesmo que elas não sejam totalmente satisfatórias, provocam movimentos que servem de gatilho para o senso criativo.

Curiosidade é outro pilar no exercício da criatividade

A curiosidade é outro pilar no exercício da criatividade

Conexão de ideias

Esse elemento pode ser considerado uma espécie de liquidificador. É aqui que toda a observação feita por nós e os resultados de nossos questionamentos se misturam. Assim, formam um mix de onde muitas ações criativas são originadas.

Aqui, mais uma vez, é interessante lembrar a importância da construção de um repertório. Quanto mais aberto o indivíduo for a vivências, experiências e conhecimento, maior será a sua base de informações e ideias que, ainda que aparentemente sejam desconexas, podem ser muito bem associadas por meio da criatividade. O resultado dessa conexão pode ser uma inovação ou a solução de algum problema de modo diferenciado.

Agora, para que essa conexão aconteça cada vez mais de forma natural, algumas habilidades socioemocionais podem e devem ser aprimoradas. O autoconhecimento e o autocuidado, por exemplo, fazem toda a diferença. Isso, porque o desenvolvimento desses valores auxilia na compreensão da diversidade humana. Eles ajudam ainda no reconhecimento das emoções, próprias e dos outros. Tudo com autocrítica e com capacidade para lidar com esses sentimentos. Essas emoções são mais um ingrediente a compor a mistura no nosso liquidificador.

Conexão: onde observação e curiosidade se juntam

Conexão: onde observação e curiosidade se unem

Criatividade, benefício para todos

Com observação, inquietude e exercício de conexão de ideias, vimos que podemos nos tornar seres altamente criativos. Isso é muito bacana. Agora, quem pode se beneficiar com toda essa criatividade? Essa questão é muito fácil de ser respondida!

Não há dúvidas que o mundo moderno pede pessoas emocionalmente mais preparadas para lidar com uma vida cheia de incertezas e com problemas que exigem, cada vez mais, soluções diferenciadas. Não é a toa que já não basta mais somente o conhecimento técnico para se alcançar uma vaga de emprego. As habilidades socioemocionais se transformaram em requisito para contratação de profissionais em inúmeras empresas. Aliás, existem empresas que priorizam mais a inteligência emocional do que currículo em seus processos de seleção.

Leia também: Novo mundo: habilidades comportamentais em alta no mercado de trabalho

Por aí, percebe-se que a criatividade é um item fundamental a ser trabalhado desde a infância. Crianças e jovens precisam aprender a gerir emoções e, gradualmente, aprender a resolver os problemas que surgem. Nesse sentido, a criatividade ajuda a formar adultos preparados para a vida, bem estruturados, mais confiantes e proativos.

Criatividade ajuda a aprimorar a visão diante das situações da vida

A criatividade ajuda a aprimorar a visão diante das situações da vida

Com criatividade, as pessoas conseguem enxergar um mesmo problema por ângulos diferentes. Mais do que isso, podem trabalhar melhor os sentimentos, ser mais resilientes, com condições de agir com resignação. Tudo isso influencia diretamente numa vida em sociedade mais saudável, mais empática e harmoniosa. O benefício é, então, coletivo. Ou melhor, geral!

Veja mais matérias em De olho na BNCC.

Fotos – Unsplash

0 Comentários

Os comentários estão fechados.