FECHAR

Assine nossa newsletter:

A importância do desenvolvimento da autoestima em nossos alunos

A importância do desenvolvimento da autoestima em nossos alunos

11 dez, 2020 | Publicado por Líder em Mim

 

O artigo abaixo é um resumo de todo conteúdo apresentado por Marco Antônio Ferraz em uma live exclusiva do Líder em Mim. Para ter acesso à gravação, basta clicar aqui. 

O desenvolvimento da autoestima é um tema fundamental para refletirmos a respeito. Esse fator está diretamente relacionado a performance pessoal, acadêmica e profissional de nossos alunos. E não podemos excluir um crescimento tão importante da sala de aula. 

Durante este texto, vamos explicar a definição de autoestima, os motivos para desenvolvê-la em nossos alunos e como influenciar na construção. Vamos lá?

 

O que é a Autoestima?

Representação da Autoestima

 

Antes de qualquer coisa, nós precisamos entender o que é a autoestima e qual sua essência. 

Pegamos como base a definição criada por Nathaniel Branden, Doutor em psicologia e autor de diversos livros que englobam o universo da autoestima, incluindo o clássico “The psychology of self-esteem”.

Branden define a autoestima como: 

“É confiar nas próprias ideias. É saber ser merecedor da sua felicidade”. 

Autoestima é a imagem e a opinião, positiva ou negativa, que cada um tem e faz de si mesmo. Ela é construída a partir das experiências pessoais, das emoções, crenças, comportamentos, autoimagem e da imagem que os outros têm sobre nós. É um valor que você atribui a si próprio como forma de avaliação física e mental, além da questão de aceitação, que reflete nas nossas atitudes diárias e equilíbrio emocional.

Ter autoestima difere de ser “empoderado” ou ser alguém alegre e “para cima”. É ter autoconfiança e estar aberto a aprender e receber críticas. É ter auto respeito, que também é diferente de ser narcisista e arrogante. 

E a baixa estima está relacionada à auto sabotagem, em não saber reconhecer suas habilidades e as aplicações das mesmas. 

O desenvolvimento da autoestima não é a solução de todos os problemas, mas é um fator muito importante e uma condição necessária. Ela é responsável pela independência, a segurança e o saber lidar com as mudanças e dificuldades impostas pela vida.

 

Por que desenvolver a autoestima?

baixa autoestima dos alunos

 

Assim como dissemos anteriormente, elevar a autoestima é preparar a criança para a sociedade e suas intempéries. 

A baixa estima corrói a independência, a autonomia, a segurança e a capacidade de tomar decisões. E o desenvolvimento da autoestima desde a infância é um fator essencial para o sucesso. E a escola também está relacionada a este crescimento.

E aqui chegamos ao fator decisivo deste artigo, a influência da escola na construção da autoestima dos alunos.

 

Influência da escola na autoestima dos alunos

 

A personalidade do aluno é desenvolvida a partir de fatores internos e externos. E os fatores externos estão relacionados à família, modelos e os meios de comunicação. 

A escola faz parte da maior porcentagem do desenvolvimento do ser humano. Lá, além do conteúdo acadêmico, aprendemos a importância da convivência humana e desenvolvemos valores sociais e individuais.

Obviamente os fatores internos influenciam no crescimento, como a automotivação, a energia e a vontade, mas os elementos externos são de suma importância. 

A escola tem a obrigação profissional de ser guia para o desenvolvimento da autoestima. É um dever do ofício, porque na sua função primordial, o professor é um modelo. 

O aluno observa como o educador trata o outro, como ele se posiciona e como ele age de acordo com as emoções. E neste modelo, está implícita a sua contribuição para a influência da autoestima do aluno. 

 

E como a escola pode contribuir para o desenvolvimento da autoestima?

 

Autoestima na escola

 

Vamos dividir em alguns aspectos para facilitar a didática desta explicação. Começando com um fator muito importante, o erro.

 

O erro:

 

Muitas vezes esquecemos que o erro é inerente ao aprendizado. Ninguém aprende acertando. Alguns rapidamente corrigem, outros demoram um pouco mais. 

Quando alguém acerta, não temos certeza de que aquele aprendizado foi válido. Quando a criança acerta, pode ser que ela saiba ou não, mas quando ela erra temos o diagnóstico explícito do aprendizado.

O erro ajuda a trabalhar o aprendizado do aluno. E o erro deve ser valorizado. Não queremos dizer no sentido da vangloriação do erro, mas dar ao erro o valor intrínseco de sua ajuda no processo de aprendizagem.

 

A comparação 

 

Outro fator que influencia a autoestima dos alunos são as comparações. 

O modelo tradicional acadêmico tem uma cultura avaliativa comparativa. As notas são a garantia de que um sabe mais que o outro. E o dever do educador é desvincular esses dois aspectos e evitar comparações entre alunos ou entre alunos e modelo. 

A projeção de expectativas e a comparação são altamente tóxicas à autoestima. Deve-se comparar o aluno apenas a ele mesmo. Deve-se entender a evolução da criança e trazê-la como um ponto positivo no processo educacional. 

Um exemplo: “Você, aluno, teve um excelente desempenho na realização desta atividade. Olha só os resultados comparados ao seu último. Parabéns!”

 

Reconheça diferentes inteligências

 

Todo ser humano é único e tem seu talento. E eles precisam colocar os talentos na construção da sua essencial e mostrá-los ao mundo. 

Não existem “casos perdidos” ou alunos ruins. Este é um problema que está em seus olhos, não nas crianças. Os alunos são ímpares e têm suas individualidades e cabe a você reconhecer as diferenças e ajudar no florescimento dos talentos. 

E um papel muito interessante do professor neste processo do “florescer” é guiar e discutir ambições, desejos, mostrando ao aluno a importância dos caminhos. 

Reconheça os sucessos, os talentos e as dificuldades. E saiba parabenizar o momento certo.

 

Bullying e a autoestima 

 

 

Outra questão muito importante e que impacta a autoestima dos alunos é o bullying. 

O Bullying deve ser execrado na escola. Cada aluno é especial e nenhum outro tem o direito de diminuir esta importância. 

Tomando como exemplo uma situação em sala de aula: Quando um aluno pergunta e a turma ri. Essa atitude deve ser abominada. O papel do professor nesta situação é interromper a aula e entender o porquê daquele riso. Cada dúvida é válida e os outros alunos devem ter isto em mente. 

Fique atento às injustiças e saiba puni-las. Reconhecendo a dignidade de cada estudante.

 

Dedique atenção

 

Para finalizar as dicas de desenvolvimento da autoestima, queremos trazer um último ponto muito importante. Dê atenção!

Dê seu tempo ao aluno. Talvez este seja o bem mais valioso que possa oferecer. E ele pode ser o único bem importante para aquela criança. 

Esteja presente e faça com que a turma saiba desta presença! Só assim seus alunos entenderão a importância de todo processo educacional.

0 Comentários

Os comentários estão fechados.