FECHAR

Assine nossa newsletter:

Enem e a hora do equilíbrio emocional

23 out, 2020 | Publicado por Líder em Mim

Matérias bem estudadas e equilíbrio emocional. Essa é a soma que todo aluno almeja rumo ao sucesso tanto no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) quanto nos demais vestibulares que viabilizam o acesso ao ensino superior. Agora, para dizer a verdade, se essas duas frentes de preparo já representam um desafio enorme para os estudantes, garanti-los num ano como esse é ainda mais complexo, não é mesmo? Mas, como não dá para fugir dessa luta, é preciso encará-la de frente e, nessa reta final, organizar formas de dominar essas duas chaves que representam a porta de entrada para a tão sonhada vida universitária.

Não tem como não dizer que a pandemia deu uma boa bagunçada na vida dos estudantes e candidatos ao Enem e aos vestibulares. Muitos já haviam organizado o fluxo de estudo, um roteiro para chegar nessa etapa do ano já bem encaminhado no conteúdo. Isso, claro, tem relação direta com a confiança e a segurança que possibilitam certo equilíbrio emocional. Daí, um vírus avassalador ocasiona o fechamento das escolas, decreta uma mudança radical na forma de se estudar, trazendo aquela dúvida perturbadora: e agora?

Socioemocional é o diferencial

A pergunta acima é mesmo perturbadora. Contudo, para quem tem e pratica a chamada inteligência emocional, a mesma pergunta pode e deve ser usada para colocar tudo nos eixos novamente. Sim, a procura pela resposta a essa questão demanda uma breve organização mental e, através dela, se recolocar no caminho da confiança e do sucesso!

Veja, se você ainda encontra-se meio perdido, preste atenção nas dicas abaixo. Ainda é tempo de exercitar as competências sociomocionais e suas virtudes que certamente farão o diferencial.

As competências socioemocionais servem de bússola para recolocar no eixo

Competências socioemocionais servem de bússola para recolocar no eixo

As provas do Enem serão realizadas na segunda quinzena de janeiro. Então, até lá, todos os candidatos estarão na mesma corrida pelo saber, pela memorização dos estudos e pelo conteúdo que não foi dado presencialmente em razão da interrupção das aulas. Ou seja, as mudanças técnicas afetam igualmente a todos. A vantagem ficará para quem também guarda o preparo mental e emocional. Assim, a calma, a confiança, a resiliência e a habilidade para adaptar-se ao momento servirão de trampolim na grande concorrência que representa o vestibular.

Leia também: E agora, como focar no Enem?

Atenção ao autocuidado

Nesse exercício prático da inteligência emocional, um fator a ser destacado é o autocuidado. O autocuidado é uma das competências de caráter socioemocionais que, inclusive, está presente na nova BNCC (Base Nacional Comum Curricular). Nessa competência, a capacidade de apreciar-se está muito presente. Aqui, também está o compromisso de cuidar de si, não só sob o aspecto emocional, mas também sob o aspecto relacionado à saúde física.

Dessa forma, uma dica importante é ter responsabilidade com quem te carrega, ou seja, seu corpo. Não se entregue ao sedentarismo em razão dos estudos. Não deixe de praticar uma atividade física, algo que traga movimento ao corpo e prazer para a mente. Você verá que essa parada no estudo trará mais benefícios do que imagina.

Ainda relacionado ao autocuidado, exerça com seu sono a mesma disciplina que exerce com os estudos. Atente-se e respeite o período de descanso, onde desligará de tudo e recarregará as energias. Lembre-se que não há mente desperta em corpo sonolento.

Atenção ao corpo e ao sono: o autocuidado é fundamental

Atenção ao sono e ao corpo: o autocuidado é fundamental

Claro, aqui vale mais um alerta: conheça e respeite seus limites. Obedeça aos sinais do corpo, seja para não exagerar nas horas de estudo nem na intensidade da atividade física. Tudo deve ser comedido, na medida certa para causar bem-estar e mais nada além disso.

Autogestão: ferramenta poderosa

Também ligada aos diferenciais de um candidato prestes a vivenciar essa etapa de Enem e de vestibulares está a autogestão. Dentro das competências socioemocionais, a autogestão representa a valorização e apropriação de conhecimentos e experiências para compreender o mundo, a situação. Mais além, também atua no entendimento que auxilia fazer escolhas alinhadas ao próprio projeto de vida.

Pois bem, e como a autogestão serve como diferencial, na prática? Nessa etapa final dos preparativos para as provas, estudantes que conseguem manter-se motivados, ainda que estejam no estudo remoto, acham estímulo extra para seguir adiante, sem esmorecer. Para entender o potencial que há dentro desse conceito, basta comparar a situação com uma corrida, onde na reta final, nos últimos metros, ao invés de desacelerar, você encontra gás para avançar mais ainda!

Dessa forma, os alunos motivados, que se mantêm engajados firmemente nos estudos, com a mesma empolgação anterior, chegam com combustível de sobra, o que pode lhes garantir maior tranquilidade e sucesso na caminhada.

Autogestão ajuda na subida de cada degrau

A autogestão ajuda na subida de cada degrau

Gestão das emoções

Dentro do contexto da autogestão, vale a pena a gente destacar mais um ponto fundamental: a gestão das emoções. Sim, como dissemos, a autogestão representa a apropriação de experiências e essas experiências podem também ser traduzidas como sentimentos e emoções.

É normal que nesse período de estudo, ainda mais nesse ano de pandemia, o estudante oscile entre emoções positivas e negativas. Por vezes, aquela confiança some e dá lugar a uma sensação de insegurança. Aí, surgem perguntas como: será que eu me preparei como deveria? E se eu não alcançar meus objetivos? O que acontecerá se eu fracassar? Esses questionamentos aparecem como assombrações e são normais na cabeça da maioria das pessoas. A vantagem fica com quem sabe trabalha-las, espantá-las e revertê-las em emoções positivas.

Como, então, fazer esse processo de transformação? O primeiro passo é minimizar, inibir ou, melhor ainda, cancelar a emoção negativa. Para isso, tente entender o motivo dela ter surgido à mente para, na sequência, imaginar seu “antídoto”. Na prática, se a emoção negativa surgiu porque mentalmente veio a questão “será que vai dar errado?”, trabalhe a mente para trocar a interrogação pela afirmação “tem tudo para dar certo!”. Não pense no que falta para estudar, para caminhar. Mas, pense no tudo que já caminhou, naquilo que já se preparou. Isso traz a confiança de volta e ela é fundamental para que chegue bem ao final de todo esse preparativo.

O pensamento positivo: emoções negativas podem e devem ser transformadas

Pensamento positivo: emoções negativas podem e devem ser transformadas

Exerça a autonomia

Parece óbvio, mas não é. No dicionário, a autonomia leva como significado a capacidade de governar-se pelos próprios meios. Isso tem tudo a ver com o momento que vivemos. Sem as aulas presenciais, o planejamento e a organização deixam ainda mais de ser algo coletivo e passam a ser totalmente individualizados. Cada um faz a sua própria programação e quem exerce maior autonomia sobre isso certamente chega melhor preparado para o Enem e para outras provas de vestibular.

Aqui, vale uma importante observação: dentro das competências de caráter socioemocional, a autonomia aparece junto com a responsabilidade. Afinal, o exercício de ambas exige flexibilidade e determinação. São qualidades importantíssimas e que bem trabalhadas, sim, se traduzem em vantagem diante da concorrência.

Agora, para exercer a autonomia de forma plena e eficaz, outras duas palavras devem fazer parte da rotina do estudante: foco e persistência. O foco representa o poder de concentração que cada estudante deve ter. Representa a capacidade dele em se abster das distrações, de outras atividades que roubem a sua atenção para executar aquilo que planejou com sua autonomia.

A persistência, por sua vez, representa justamente a execução do que foi planejado, ainda que distrações e outros obstáculos possam surgir. Empenho, dedicação e perseverança são algumas das virtudes embutidas em pessoas persistentes. Virtudes essas muito valiosas e que se transformam em diferencial importante aos estudantes que estão nessa reta final dos estudos.

Exerça a autonomia com determinação, foco e persistência

Exerça a autonomia com foco, determinação e persistência

Mais algumas boas dicas

Além dos aspectos emocionais descritas acima, o Blog Líder em Mim deixa mais algumas dicas que podem ajudar bastante nesse período que antecede as provas. Anote e aproveite!

A ansiedade bate nesse momento. Isso é normal. Agora, tente controlar a emoção para que ela não te controle. Pratique exercícios de respiração e de relaxamento. Isso ajuda a espantá-la;

Não se esqueça dos laços afetivos. Familiares e bons amigos são fundamentais sempre na vida. Guarde um tempo para encontra-los, ainda que a agenda pareça escassa. Esses momentos com quem gostamos servem para nos fortalecer e renovar as energias para seguir a jornada;

Viva leve! Não deixe que esse momento que antecede as provas transforme-se num grande monstro. Saiba que, caso algo não saia como planejou, esse não será o fim da linha. Há outras possibilidades e planos podem ser alterados, refeitos ou adiados!  Isso chama-se resiliência. Pessoas com essa habilidade conseguem ver o lado bom em momentos negativos. Dali, tiram algum tipo de aprendizado e desse aprendizado a força para seguir adiante, num novo desafio!

Viva leve, o sol surge para todos

Viva leve! O sol surge para todos

Clique aqui e leia mais matérias sobre o universo socioemocional.

Fotos – Unsplash

 

 

0 Comentários

Os comentários estão fechados.