FECHAR

Assine nossa newsletter:

O fantástico conceito da conta bancária emocional

19 nov, 2020 | Publicado por Líder em Mim

Já imaginou se nossas atitudes ao longo da vida fossem comparadas com movimentações bancárias, como essas transações que fazemos rotineiramente junto às instituições financeiras? Contudo, a moeda nessas transações não seria o real, mas o que podemos chamar de valores reais.

Gentileza, honestidade, cortesia e respeito ao próximo são as riquezas em questão e para explicar melhor esse fantástico conceito, a gente vai detalhar nas próximas linhas.

O termo “conta bancária emocional

Quem nos acompanha sabe que o programa Líder em Mim, mundialmente reconhecido como um dos melhores na formação socioemocional, foi todo pautado na obra “Os 7 hábitos das pessoas altamente eficazes”, do americano Stephen Covey. O Líder trabalha sobre paradigmas mentais e com a vivência desses 7 hábitos.

Pois bem. Em sua obra, Covey explana em detalhes que, através desses hábitos, é possível que qualquer pessoa alcance a sua total satisfação, assim como os objetivos que coloca em mente. Nesse sentido, o termo “conta bancária emocional” surge exatamente no hábito de número 3: faça primeiro o mais importante, hábito ligado aos princípios da administração pessoal.

Dentro desse hábito, ao falar da importância de administrar com qualidade nossos relacionamentos, Covey insere de maneira didática, quase lúdica, o conceito da conta bancária emocional. Ao explorar a comparação, o autor destaca que os relacionamentos entre pessoas se assemelham às movimentações bancárias que fazemos, onde depósitos, saques e saldos representam, respectivamente, demonstrações de afeto e respeito; ausência dessas demonstrações; e o balanço desses atos (ou falta deles). A seguir, explicaremos melhor cada tipo de movimentação.

Os depósitos

Exatamente como acontece numa conta bancária envolvendo dinheiro, na conta bancária emocional os depósitos representam a segurança, a confiança e a estabilidade no relacionamento. Podemos dizer que é o tipo de aplicação que só traz benefícios. Isso, tanto para quem deposita quanto para quem recebe esses valores.

E quais são os valores que contam nesse movimento de depósito? Na verdade, dentro de um relacionamento, são inúmeras as ações virtuosas que podem ser contabilizadas como importantes depósitos. Todo cumprimento de compromisso efetuado com a outra parte, por exemplo, entra nessa conta. Mais além, gestos gentis, o carinho e a atenção, sem contar na preservação do respeito e da honestidade, somam nesse “caixa a receber”.

A cooperação entre as partes e a compreensão, o que envolve o exercício permanente da empatia, também são moedas valiosas. Isso, sem deixar de citar a comunicação. Sim, ela deve ser a mais direta e sincera possível. Inclusive, a comunicação representa o caminho mais verdadeiro para vários tipos de depósitos, como a compreensão e a empatia. Serve, ainda, como genuína demonstração de carinho, atenção e afeto.

O afeto entra como valor importante no depósito

O afeto entra como importante valor no depósito

Os saques

Bom, uma vez que alguns tipos de depósitos foram citados acima, você já pode imaginar quais tipos de comportamento são considerados saques nessa conta bancária emocional né? Eles são, exatamente, os comportamentos opostos ou quando o relacionamento é marcado pela ausência dessas ações de reserva.

Nesse sentido, a falta de comunicação entre os envolvidos no relacionamento é um dos principais causadores de grandes saques dessa conta bancária emocional. A ausência de compreensão, o desrespeito, a falta de atenção e de carinho são outros pontos que levam ao saque.

Aqui, vale destacar mais dois pontos de retirada: a arbitrariedade e a traição da confiança. Esses fatores podem minar tudo aquilo que foi acumulado, deixando a conta no vermelho, em déficit, o que põe em risco a preservação do relacionamento. Pelo menos, de um relacionamento saudável.

O saldo

Dentro do contexto da conta bancária emocional, o saldo tem o mesmo sentido de uma conta bancária tradicional. Ou seja, ele representa o balanço das ações de depósitos e retiradas da conta. Essas ações, contudo, são relacionadas aos valores ligados ao comportamento que nutrem – ou enfraquecem – os relacionamentos.

A dinâmica é exatamente igual àquela que realizamos junto às instituições financeiras. Devemos ter foco em manter sempre nossa conta positiva, no chamado “azul”! Assim, as ações de depósito devem sempre superar as ações de saques, o que significa, claro, que devemos investir sempre que possível no depósito. Os saques, então, devem ser evitados e utilizados somente quando necessários.

Para manter estabilidade na conta bancária emocional, cada indivíduo deve checar seu saldo com frequência. Nesse sentido, a checagem deve ser realizada com um amplo exercício de autocrítica. O “correntista” dessa conta deve se fazer as seguintes perguntas: “estou depositando o suficiente?”; “estou exagerando nos saques?”; “como ampliar positivamente meu saldo?”. A busca dessas respostas certamente ajudará na leitura do saldo, bem como no entendimento da movimentação necessária em sua conta.

O extrato emocional

Sabemos que dentro de um relacionamento, nem tudo são flores. Por essa razão, é muito difícil termos apenas movimentos de depósitos, sem nunca precisarmos recorrer aos saques. Por vezes, os saques acontecerão. É aí que entra a matemática emocional. Na prática, isso significa que, por saber que um dia precisaremos sacar dessa conta, é fundamental nos preocuparmos em depositar de forma contínua, sempre que possível.

Depósitos devem ser muito bem guardados para serem utilizados quando preciso

Depósitos devem ser muito bem guardados para serem utilizados quando necessário

Geralmente, recorremos ao saque em momentos de maior tensão, quando passamos por algum problema ou fase que nos gere instabilidade emocional. É possível, inclusive, de em alguns momentos sacarmos sem raciocinar como pediria a ocasião. Somos seres humanos, isso acontece mesmo.

É justamente por isso que necessitamos, de tempos em tempos, observar nosso extrato emocional. Assim, podemos enxergar melhor como foi a movimentação em nossa conta e avaliar onde os saques podem ser evitados ou minimizados numa próxima situação. Mais além, podemos analisar a quantidade de depósitos realizados no período e vislumbrar formas de deixar a conta ainda mais no azul, com o extrato positivo ao máximo. Isso, tanto quanto desejamos ver em nossas contas bancárias tradicionais!

Veja mais em Socioemocional ao pé da letra

Fotos – Unsplash

 

 

 

0 Comentários

Os comentários estão fechados.