O papel dos estudantes como agentes transformadores do mundo

18 jun, 2019 | Publicado por Líder em Mim

Ninguém muda o mundo sozinho. As pessoas devem se educar em comunhão para mudá-lo, em um processo de descoberta, influências, compreensão e, por fim, ação reflexiva.  Um agente transformador do mundo, consciente de seu papel, começa sua formação na escola, logo na infância. O grande desafio pedagógico, portanto, se dá pela questão: como influenciar os pequenos a essa conscientização?

A visão de mundo e os comportamentos dos jovens são construídos, em boa parte, por meio de grandes influências em suas vidas. Além do âmbito escolar, os valores ensinados e partilhados em casa e em outros nichos sociais são fundamentais para o desenvolvimento psicossocial e emocional de cada indivíduo. No entanto, o fator determinante para formar pessoas conscientes e atuantes no mundo de forma autônoma se dá pelo conhecimento – e a maneira como cada um é tocado por ele.

Influências mútuas e complementares

A partir do desenvolvimento cognitivo e socioemocional, o estudante pode influenciar até mesmo aqueles que sempre o influenciaram. A cargo de exemplo, um estudo publicado por cientistas da Universidade do Estado da Carolina do Norte, nos Estados Unidos, concluiu que educar crianças e adolescentes sobre as mudanças climáticas aumenta a preocupação dos pais sobre o assunto. A pesquisa, publicada na Nature Climate Change, demonstrou resultados de um método experimental com 238 alunos e 292 pais participantes.

Os pesquisadores analisaram o trabalho de professores de ciências do ensino fundamental II, que incorporaram um currículo de mudança climática em suas turmas.  Antes que as aulas começassem, alunos e pais tiveram que responder a uma pesquisa que media seus níveis de preocupação em relação às mudanças climáticas. Após os estudantes entrarem em contato com o currículo climático, os dois grupos (alunos e pais) voltaram a responder a pesquisa.  Houve um considerável aumento na preocupação com o tema entre todos os participantes.

Crianças são influências para os pais

Estudantes exercem influências nos pais

Diante dessas evidências, é possível demonstrar o poder transformador do conhecimento e o quanto a educação pode ir além dos eixos tradicionais. Aprender não é sinônimo de decorar fórmulas e conceitos, aprender é um processo coletivo, interdependente e, principalmente, agregador. As influências são mútuas, complementares e a sala de aula é só um fragmento das múltiplas camadas de ensino e de envolvimento com o mundo.

Assim como o conhecimento em relação às questões climáticas influenciaram os pais, a aprendizagem das habilidades e competências socioemocionais dentro da escola também leva alunos a influenciar o comportamento dos pais. O aprendizado é um ciclo sem fim.

Quer ver mais notícias sobre o universo das competências socioemocionais? Acesse https://www.olideremmim.com.br/olem_blog/socioemocional-ao-pe-da-letra/.

0 Comentários

Os comentários estão fechados.