Pai modelo na formação socioemocional

16 ago, 2019 | Publicado por Líder em Mim

O segundo domingo de agosto foi marcado pelo Dia dos Pais. A data, que homenageou a figura paterna, também trouxe – e ainda traz – como excelente oportunidade não apenas a celebração da família, mas também a reflexão sobre a importância da estrutura familiar modelo para a formação socioemocional da criança.

Não há dúvidas de que essa formação socioemocional é desenvolvida com o total apoio da família. Para isso, é fundamental um ambiente acolhedor e repleto de carinho, onde a criança possa se sentir respeitada e amada.

Família e a formação socioemocional

Família e a formação socioemocional

Pai como modelo

No desenvolvimento das competências socioemocionais, a figura paterna exerce um papel muito valioso. Na infância, ele representa segurança e, junto com a mãe, também torna-se modelo de responsabilidade e de formação de caráter para os pequenos.

Claro, jamais podemos deixar de destacar a transmissão de sentimentos como algo igualmente essencial. Contudo, nesse ponto, ainda vivemos uma cultura em que homens, de um modo geral, escondem fragilidades e sentimentos. Deixam de passar valores e emoções que não só enriqueceriam o repertório emocional da criança, como também lhes daria equilíbrio e confiança, transformando-se no grande modelo e referência para seu filho.

A pergunta de ouro

A data comemorativa já passou, mas sempre é tempo para refletir e mudar o que for preciso em prol do desenvolvimento socioemocional. Os pais podem e devem conectar-se mais com seus pequenos. Simples gestos podem trazer grandes transformações.

Uma boa forma de iniciar ou aprofundar essa transformação e contribuir para o desenvolvimento socioemocional da criança é perguntar-se, diariamente: “o que posso fazer hoje para impactar o dia do meu filho”?

A busca por essa resposta é poderosa! Ela possibilita ampliar a atenção sobre o pequeno, exercitar mais o olhar nos olhos e ouvir o que o filho tem a dizer. Tudo isso impacta e traz significado para o relacionamento em família.

Aproveite os pequenos momentos do dia a dia, tornando-os muito especiais. Permita que seus filhos participem mais de sua vida, conheçam suas histórias de infância, saibam dos principais pontos do seu trabalho. Se for possível, deixe que eles conheçam seu local de trabalho, assim como deixe que eles compartilhem suas experiências da escola.

Família deve ser participativa

Família deve ser participativa

Valorize sentimentos. Não economize em discursar sobre a importância que a criança tem em sua vida. Não omita o “eu te amo”. Repita essa frase muitas vezes. Afinal, o óbvio precisa ser dito e a reafirmação do amor traz segurança e diminui os medos, tão naturais na infância e na adolescência.

Os valores de uma família devem ser ancorados na criação dos filhos. Quando isso acontece, eles certamente os levarão para toda vida.

Para ler mais notícias sobre o universo das competências socioemocionais, acesse: https://www.olideremmim.com.br/olem_blog/socioemocional-ao-pe-da-letra/.

0 Comentários

Os comentários estão fechados.