FECHAR

Assine nossa newsletter:

Uso responsável das redes sociais: as competências socioemocionais podem ajudar como filtro?

04 jul, 2019 | Publicado por Líder em Mim

Criadas inicialmente como ferramentas virtuais para interação social, encontro de amigos e compartilhamento de fotos, momentos e informações, as redes sociais e sua agilidade na difusão de mensagens pela internet estão se transformando num imenso e perigoso tribunal. Através delas, qualquer um ganha poder de julgador, assim como pode se ver “no banco dos réus”, sem filtro, sendo exposto diante de qualquer fato, denúncia, desafeto ou outro tipo de situação. O momento pede uma pausa para a reflexão: como usar essa fantástica ferramenta tecnológica de modo saudável, responsável e eficaz?

Diante da época de superexposição que temos vivido, em que cada postagem de foto, mensagem, desabafo ou denúncia sofre uma avaliação crítica acerca dos respectivos custos e consequências, a resposta para a pergunta que dá o título desse texto é afirmativa. Sim, a aprendizagem das habilidades socioemocionais pode fazer com que nossos jovens façam melhor uso das redes sociais.

Uso responsável das redes sociais

Uso responsável das redes sociais

O filtro formado pelas competências socioemocionais

Para construir uma boa estrutura de filtragem, de modo que o jovem aprenda a não expor a própria vida nem a de outros nas redes sociais, as competências socioemocionais podem ser fundamentais em esferas como: social, emocional e ética.

Sob o aspecto social, habilidades ligadas ao relacionamento, com valores como cooperação e empatia são fundamentais. Com esse filtro, o jovem entende a importância de se fazer respeitar assim como de promover o respeito ao próximo e aos direitos humanos. Isso é essencial para que antes de cada decisão de publicação nas redes sociais, ele pondere se desrespeitará ou prejudicará alguém.

No âmbito emocional, o filtro é obtido por meio da reflexão, do parar e pensar, do gerenciamento das emoções. O jovem é levado a cuidar das suas publicações, de seus comentários, fazendo-os de modo a não ser guiado por emoções como raiva, frustração, tristeza ou vingança. Nesse sentido, cria suas publicações de forma consciente, desenvolvendo o senso de autoavaliação, de criticidade e de autocontrole, habilidades essenciais para a cautela necessária antes da tomada de cada decisão responsável, inclusive no universo da internet.

Competências socioemocionais ajudam a filtrar

Competências socioemocionais ajudam a filtrar

Por fim, na ética, o filtro ajuda a focar na ação coletiva, trabalhando a valorização do outro e respeito às diferenças, compreendendo a diversidade humana e toda a sua riqueza.

Ao aprender essas habilidades socioemocionais, o jovem passa a usar de maneira mais responsável, mais saudável e eficaz as redes sociais. E, muito além da vida virtual, poderá aplicar todo esse aprendizado em seu desenvolvimento real, como cidadão íntegro e ciente de seu papel na sociedade.

Quer ver mais notícias sobre o universo das competências socioemocionais? Acesse https://www.olideremmim.com.br/olem_blog/socioemocional-ao-pe-da-letra/

0 Comentários

Os comentários estão fechados.